Buscar

Birras e conflitos são comuns em sua escola? Saiba como a Psicologia Escolar pode te auxiliar

Atualizado: 31 de Jan de 2019




Não é incomum escutarmos, na Educação Infantil, educadores dizendo não saber mais como lidar ou o que fazer com comportamentos de birra e/ou conflitos das crianças, nas rotinas diárias da turma. Tais situações são observadas quando a criança está fazendo algo indesejável na percepção do adulto, como mexer no que não deve, não aceitar uma proposta coletiva ou ainda machucar a si mesma ou a um colega.


Entende-se que, de fato, as situações que colocam a criança ou os demais colegas da sala em perigo devem ser impedidas. No entanto, muitos outros comportamentos das crianças que não representam perigo ou que não ferem regras de convivência social tendem a ser desnecessariamente repreendidos pelos adultos (ex: ao invés de a criança sentar com “perna de índio” para folhar livros infantis, ela os espalha pelo chão e os explora de forma diferente da usual). Nesse sentido, é comum que o adulto julgue o comportamento da criança não pelas consequências que este pode gerar, mas sim por seus gostos pessoais, pois muitas vezes o educador não gosta que a sala fique com brinquedos espalhados, como no exemplo. O excesso de impedimentos tende, muitas vezes, a tornar a rotina das crianças muito rígida e até mesmo fomentar ainda mais protestos das crianças.


Isso ocorre porque as crianças na Educação Infantil ainda são muito pequenas e estão apenas começando a entender que o mundo funciona a partir de regras. Ao mesmo tempo, ao longo dos primeiros anos de vida, elas descobrem pouco a pouco que são sujeitos únicos, dotados de interesses, desejos e jeitos muito particulares. Por isso, gostam muito de poder ter momentos nos quais demonstrem suas características e façam escolhas independentes. Ora, se a rotina é muito centrada no adulto e as crianças não podem vivenciar esses momentos, algumas delas tendem a exacerbar seus protestos.


Isso não significa, obviamente, que o adulto deve permitir tudo, não se trata de uma anarquia. O que o adulto precisa entender é que seu papel é utilizar formas de ajudar as crianças a entender as regras sociais e as consequências de seus comportamentos, sem ser punitivo ou excessivamente controlador. Ou seja, o objetivo do adulto diante de comportamentos indesejáveis é ajudar a criança a regular seu comportamento, permitindo que a criança adquira, pouco a pouco, a consciência das regras e o desejo de cooperar (e não agir por medo do adulto).


Sabemos, no entanto, o quão difícil é, no cotidiano, construir essa forma de se relacionar com a criança. O apoio de uma consultoria Psicologia Escolar pode ser valioso, uma vez que ela visa auxiliar as escolas e os educadores a compreender tais manifestações das crianças e conduzi-las da melhor maneira, ajudando-as a se desenvolverem integralmente.


Confira abaixo alguns exemplos de como a Consultoria em Psicologia Escolar pode auxiliar o educador frente esta demanda:


§ Auxiliar os educadores a pensarem em melhores maneiras de arrumar/organizar os espaços físicos da sala, deixando-a atrativa e envolvente para as crianças, podendo, assim, evitar o excesso de conflitos;


§ Instruir o educador para que este possa comunicar para a criança o que deseja com clareza e qualidade, pois a comunicação com a criança exige que a mesma esteja atenta ao que o adulto quer comunicar;


§ Junto do educador, pensar em alternativas para substituir os comportamentos que a criança não deve ter por outros que ela pode realizar (ex: ela não pode mexer na lixeira, mas pode brincar com um pote de tampa que também abre e fecha);


§ Trabalhar coletivamente com os educadores, através de encontros de formação, visando refletir sobre o tema e construir formas mais coesas de a escola lidar com essas situações.


Se interessou pelo tema e/ou pelo trabalho do psicólogo escolar? Entre em contato conosco pelo e-mail consultoria.zelo@gmail.com


Texto escrito por: Flávia Lemes Matte, Ana Paula Machado, Ana Carolina Silveira Stret, Eduarda Berao e Gabriela Dal Forno Martins.

CONTATO

Tel: (51) 99701-5954

E-mail: consultoria.zelo@gmail.com

Zelo Consultoria em Educação e Desenvolvimento Infantil LTDA

CNPJ: 17.124.153/0001-43

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle